22 de fevereiro de 2024

Enfermeiro é demitido após denúncia de abuso sexual em hospital de SP

Vítima foi internada para fazer uma cirurgia de retirada da vesícula. Ela contou que estava nua, com braços e pernas amarradas. O caso é investigado pela 2ª Delegacia de Defesa da Mulher


Por Folhapress Publicado 08/09/2022
 Tempo de leitura estimado: 00:00
Enfermeiro é demitido após denúncia de abuso sexual em hospital de SP
Enfermeiro trabalhava no Hospital Dia Ipiranga Dr. Flávio Giannotti, no bairro do Ipiranga, zona sul de São Paulo – Foto: Divulgação/Prefeitura de São Paulo

Um enfermeiro de um hospital municipal de São Paulo foi demitido após uma denúncia de abuso sexual contra uma paciente. O funcionário trabalhava no Hospital Dia Ipiranga Dr. Flávio Giannotti, na zona sul da capital.

VÍTIMA DE SUPOSTO ABUSO SEXUAL CONTOU QUE ESTAVA NUA, COM BRAÇOS E PERNAS AMARRADAS


De acordo com o “Jornal da Record”, da RecordTV, a vítima do suposto abuso sexual foi fazer uma cirurgia de retirada da vesícula. Em entrevista à TV, ela contou que estava nua, com braços e pernas amarradas.

“Ele começou a me tocar, de forma muito íntima, muito estranha”.


Ela afirmou que outras funcionárias suspeitaram da ação e entraram para interrompê-lo.

“Elas falavam em um tom assim: ‘Para de descobrir a menina, está frio. Fica descobrindo ela à toa? Pra quê?”, contou a vítima, que formalizou uma denúncia no mesmo dia contra o funcionário.

NOTA


Em nota enviada à reportagem, a SMS (A Secretaria Municipal da Saúde) informou repudiar “veementemente quaisquer atos de violência” e disse que “instaurou um procedimento administrativo disciplinar para apuração da denúncia”.


A pasta também disse que determinou que a direção da unidade hospitalar, administrado pela SPDM/Pais (Associação Paulista para o Desenvolvimento da Medicina/Programa de Atenção Integral à Saúde), “colabore amplamente com as autoridades policiais na investigação em curso.”

INVESTIGAÇÃO


A investigação do caso está com a 2ª DDM (Delegacia de Defesa da Mulher). De acordo com a SSP-SP (Secretaria de Segurança Pública de São Paulo) a polícia já solicitou informações ao hospital e realiza demais diligências para esclarecer os fatos.

“Outros detalhes serão preservados por conta da natureza criminal e para garantir autonomia ao trabalho policial”, diz comunicado.


A identidade do enfermeiro não foi revelada e, portanto, a reportagem não localizou a defesa dele.