22 de julho de 2024

Dia da Saúde Ocular: Prevenção da Cegueira ainda é pouco abordada

Especialista do Vera Cruz alerta sobre situações que podem culminar na perda da visão e dá dicas para cuidar dos olhos; projeto social destaca importância da inclusão


Por Redacao 019 Agora Publicado 09/07/2024
Ouvir: 00:00
saude-ocular-dr-pedro-ferrari
Dr. Pedro Ferrari – Foto: Matheus Campos – Especialista do Vera Cruz alerta sobre situações que podem culminar na perda da visão e dá dicas para cuidar dos olhos; projeto social destaca importância da inclusão

Todo 10 de julho é celebrado o Dia da Saúde Ocular, uma data crucial para alertar sobre os perigos das doenças oculares e a importância da prevenção e diagnóstico precoce. A cegueira adquirida tardiamente, conhecida como cegueira adventícia, pode ser evitada com cuidados adequados. Já a cegueira congênita é aquela presente desde o nascimento. O oftalmologista Pedro Ferrari, do Vera Cruz Oftalmologia, em Campinas (SP), destaca que as principais causas de perda de visão adquirida são evitáveis e incluem erros refrativos (miopia, hipermetropia e astigmatismo), catarata, glaucoma, degeneração macular e diabetes.

Importância da Prevenção da Cegueira

“Realizar consultas regulares com um oftalmologista é fundamental para evitar que doenças oculares se agravem ao ponto de se tornarem irreversíveis. Por exemplo, mesmo em estágios avançados, a catarata pode ser tratada para evitar a perda da visão. Erros refrativos, comuns em crianças, se não diagnosticados rapidamente, podem causar ambliopia, prejudicando o desenvolvimento ocular. Existem tratamentos específicos para evitar a progressão da miopia, que, acima de 6 graus, aumenta o risco de problemas na retina”, explica Ferrari.

Cuidados Essenciais

Ferrari enfatiza a necessidade de consultas anuais com um oftalmologista, especialmente para pessoas acima de 40 anos, para medir a pressão ocular e realizar exames de fundo de olho, prevenindo doenças como glaucoma e degeneração macular. Pacientes diabéticos também devem realizar visitas anuais, com alguns casos exigindo acompanhamento a cada quatro meses, conforme a gravidade.

Outros cuidados incluem manter hábitos saudáveis, como uma boa alimentação e prática de atividades físicas, que ajudam a controlar diabetes e hipertensão, prevenindo problemas na visão. No dia a dia, é essencial usar óculos de sol com proteção UV e higienizar os olhos com água filtrada e shampoo neutro.

Dicas do Especialista

  • Maquiagem: Utilize produtos de qualidade e evite o excesso para prevenir irritações e problemas oculares.
  • Pomada modeladora capilar: Use apenas produtos aprovados por órgãos competentes para evitar queimaduras que podem causar cegueira.
  • Colocação de cílios: Certifique-se de que a cola utilizada é adequada e o profissional é habilitado para evitar lesões oculares.
  • Fumantes: Evite o hábito, pois pode ser um fator de risco para degeneração macular, especialmente em pessoas com histórico familiar.

Promovendo a Prevenção

“A divulgação de métodos de prevenção da cegueira é essencial. Precisamos ampliar a discussão e engajar a comunidade. Muitas vezes, as pessoas procuram um oftalmologista apenas quando percebem problemas na visão, mas o foco deve ser na prevenção. Crianças e idosos merecem atenção especial, pois a perda de visão pode ser gradual”, ressalta Ferrari.

Impacto Social

A baixa visão pode levar ao isolamento social e aumentar o risco de quedas. “Além de outras dificuldades, a pessoa com perda de visão precisa de apoio, paciência e acompanhamento adequados”, conclui Ferrari.

Projeto Social: Olhos que Guiam

olhos-que-guiam-KB2
KB2 – Olhos que Guiam

Para promover a inclusão de pessoas com deficiência visual, iniciativas como o projeto “KB2 – Olhos que Guiam” são fundamentais. Criado por Almir Martelli, o projeto leva deficientes visuais para pedalar em bicicletas duplas no Parque do Taquaral, em Campinas. Com a colaboração de voluntários e doações, o projeto oferece novas experiências e oportunidades de inclusão social por meio do esporte.

“Na bike, o guia fica na frente e o deficiente visual atrás. Ambos pedalam, promovendo a inclusão social. Estamos expandindo o projeto para incluir patins e, em breve, caiaque”, destaca Martelli.