29 de setembro de 2020

As sequelas do coronavírus podem ser persistentes e atingir diferentes órgãos

Alguns sintomas da Covid-19 podem persistir, inclusive em casos não graves, e as sequelas podem atingir pulmões, coração, rins, intestino e cérebro.


Por Redacao 019 Agora Publicado 16/09/2020

Um estudo publicado no Journal of the American Medical Association (JAMA), pesquisadores que avaliou 143 pacientes de Covid-19 da Itália mostra que as sequelas do coronavírus podem ser persistentes e atingir diferentes órgãos.

Entre os casos, apenas 12,6% haviam passado por internação na UTI devido à doença. No entanto, 87,4% relataram a permanência de sintomas, como fadiga e falta de ar, mais de dois meses após a alta médica. 

Além da continuidade dos sintomas, a Covid-19 pode trazer problemas ao funcionamento de órgãos importantes. Ao atravessar a barreira imunológica e instalar-se nos pulmões, o vírus se espalha pelo corpo trazendo danos também ao coração, intestino, rins e cérebro, sendo constatadas lesões significativas nesses órgãos em situações mais graves da doença (Nature Medicine). 

Diante dessa constatação, a reabilitação dos recuperados torna-se mais complexa, por envolver o acompanhamento de aspectos que vão além do respiratório. E ainda, independente da intensidade dos sintomas, o desconforto pode acompanhar a pessoa por um período considerável, prejudicando a retomada das atividades rotineiras. Para evitar esse problema entre a população, a melhor estratégia segue sendo adotar medidas preventivas, como o distanciamento social, a higienização constante e o uso de máscaras. 

Com o objetivo de oferecer proteção e conforto, a Máscara KNIT Fiber possui formas estruturadas e desenho anatômico que se adaptam ao rosto e permitem maior respirabilidade. Similar aos modelos usados por profissionais da saúde, a máscara oferece recurso para encaixe de filtro. Com o filtro de ar, ao menos 96% das partículas suspensas no ar são bloqueadas, garantindo alta eficiência contra contaminações pela fala ou respiração.