31 de maio de 2020

O que é preciso para fortalecer a imunidade?

Zinco, vitamina C e vitamina D são os principais nutrientes a serem monitorados e podem ser facilmente encontrados


Por Redacao 019 Agora Publicado 19/05/2020
Imunidade

Manter um estilo de vida equilibrado é o ponto-chave para aumentar a imunidade, o que inclui desde o consumo de alimentos nutritivos, boas noites de sono ao controle do estresse e da saúde mental.

Com o isolamento social, por conta da disseminação do Covid-19, todas essas questões estão ainda mais em evidência. No entanto, o que se tem percebido é um crescimento considerável do consumo de bebidas alcoólicas por parte da sociedade brasileira, o que pode ser preocupante já que o consumo regular de álcool, além de ser imunodepressor, abre espaço para entrada de vírus.

Dentre os nutrientes essenciais para ficar imune, destacam-se o zinco, a vitamina C e a vitamina D como os principais a serem monitorados e ajustados por meio de alimentos saudáveis e de suplementos de qualidade, quando necessário. Porém, novos estudos também apontam um papel importante da proteína de boa qualidade como o whey protein para fornecer aminoácidos precursores de enzimas do sistema imune, além de ter função antiviral e bactericida.

Além de ser uma clássica aliada da imunidade e já amplamente adotada pela população para fortalecer o organismo, a vitamina C auxilia na absorção de ferro dos alimentos, no funcionamento do sistema imune, na formação de colágeno, entre outros benefícios.

Entre os minerais, o zinco é essencial para o sistema imune. Ele é responsável por regular diversas enzimas do sistema imunológico e sua deficiência pode alterar o funcionamento da função imune, bem como, levar a lesões de pele, anorexia, retardo do crescimento e hipogonadismo (baixa produção de hormônios sexuais como a testosterona nos homens e o estrogênio nas mulheres). Diversos estudos apontam que curtos períodos de suplementação podem melhorar a defesa imune de pacientes com alteração dos sistemas de defesa como pacientes com anemia falciforme, doença renal e gastrintestinais crônicas, por exemplo.

Já a vitamina D, reconhecida pela manutenção da densidade mineral óssea, também desempenha uma importante influência no sistema imunológico. Recentemente, os cientistas de todo o mundo vêm descobrindo os benefícios desta vitamina também para o trato respiratório.

“Diversos estudos em adultos e crianças relatam resultados de que a deficiência de vitamina D está associada ao aumento do risco e maior gravidade da infecção, principalmente do trato respiratório.  Por isso, nos últimos anos a ciência avançou na realização de ensaios clínicos a respeito da suplementação de vitamina D para prevenção e terapia auxiliar de processos infecciosos devido à sua influência no sistema imunológico com bons resultados”, explica Dr.João Branco – Médico do Esporte, Endocrinologista no Rio de Janeiro e Speaker Vitafor Suplementos Nutricionais.

Nos últimos três meses, a procura na Internet por informações sobre vitamina D, inclusive, cresceu mais de 190%, segundo dados do Google Trends. E o termo imunidade aumentou mais de 400%, o que demonstra a preocupação da população por mais informações sobre o assunto.

“Além da suplementação de vitaminas orientado por um profissional de saúde, alguns alimentos podem potencializar os efeitos de fortalecimento do sistema imunológico. Gengibre, cúrcuma, frutas cítricas e oleaginosas são exemplos que se destacam a serem inclusos no cardápio diário”, conclui o médico.