31 de maio de 2020

Construtora faz doação para movimento #MobilizaCampinas

A Feac criou o movimento #MobilizaCampinas que pretende ajudar mais de cinco mil famílias em situação de vulnerabilidade na cidade


Por Redacao 019 Agora Publicado 12/05/2020

Com objetivo de ajudar famílias que estão em situação de vulnerabilidade social, a Fundação Feac criou o movimento #MobilizaCampinas, que pretende ajudar mais de cinco mil famílias da cidade. Com a ajuda da sociedade e de uma rede de mais de 60 Organizações da Sociedade Civil (OSC), o projeto tem a meta de atender dez mil famílias. Cada família beneficiada recebe R$ 200 por mês via cartão de alimentação, durante cinco meses, para aquisição de alimentos e produtos de higiene. 

Há mais de 55 anos no mercado, o Grupo A.Yoshii investe constantemente em ações de responsabilidade social, pautadas nas diretrizes do Pacto Global e nos Objetivos de Desenvolvimento Sustentável, por meio do Instituto A.Yoshii. Por isso, a construtora também está fazendo parte do movimento #MobilizaCampinas.

“Com esse valor estamos acolhendo famílias de Campinas impactadas pela pandemia com redução de renda, devido ao trabalho informal ou autônomo. Isso reforça o lado social do grupo, que atua em todas as unidades com campanhas que ajudam a minimizar esses problemas ou dar oportunidades de formação e suporte para quem mais precisa. Vimos nas campanhas da Feac uma seriedade e oportunidade de reforçar nossa ajuda também aqui no município”, destaca o gerente da A.Yoshii em Campinas, Volney Furtado.

Sobre a crise provocada pela Pandemia

Com mais de oito mil mortes no país e mais de cem mil infectados, a Covid-19, além de ser um problema sanitário e de saúde, também está impactando a economia. Milhares de pessoas estão sendo afetadas com o isolamento social, que é necessário para frear o avanço do vírus no país. Diante de uma situação nova e sem recursos suficientes, muitos brasileiros estão sendo privados de suas necessidades básicas, como de garantir alimento na sua mesa.

O estado de São Paulo é o epicentro do novo coronavírus e regiões metropolitanas como a de Campinas, com mais de três milhões de habitantes, vêm enfrentando graves problemas relacionados à diminuição das atividades econômicas. Atualmente, mais de 84 mil famílias inscritas no Cadastro Único em Campinas estão em situação de risco social, sendo que 44% delas estão na faixa de extrema pobreza segundo dados do Ministério da Cidadania.

Nos últimos meses com avanço da pandemia, a cidade recebeu mais de 91 mil mensagens para cadastrar informais e autônomos no auxílio do governo federal.